PBS

FICHA TÉCNICA

PBS. Dulbecco modificado DPBS Flush

  • Apresentação em Bolsas de 500, 1000 ou 5000mL.
  • Produto estéril por filtração e envasado em Bolsas atóxicas e esterilizadas por óxido de etileno

Descrição:

A solução de DPBS é uma solução tamponada (pH 7,2 ± 0.2) e de osmolaridade controlada (300mmOsm/kg±30) o que mantem o meio em condições propícias à manutenção de embriões por períodos curtos de tempo. Solução é recomendada para uso como meio de coleta de embriões.

A fabricação desse produto segue por um rígido controle da qualidade, inclusive da água ultrapura utilizada seguindo como padrão a Farmacopéia Européia (4ª.ed. , 2003) para qualidade de água ultrapura. O sistema de produção é validado conforme farmacopeia mencionada, cujo padrão aceitável pode ser visualizado AQUI e garante uma padronização e repetibilidade da qualidade da mesmo e do produto final.

Solução estéril, contendo antibiótico de amplo espectro – O sulfato de Amicacina é um antibiótico aminoglicosídeo semissintético derivado da canamicina.

Vantagens:

  • Produzido em Laboratório moderno, envasado em sala limpa (Classificação ISO 08) em bolsa de polipropileno e poliestireno estéril, garantindo perfeitas condições de armazenamento.
  • Fabricado com matéria-prima de alta qualidade, incluindo água ultrapura certificada.
  • Solução estéril por filtração envasada em bolsa estéril por gás de óxido de etileno;
  • Contém antibiótico Amicacina é ativa in vitro contra Pseudomonas sp., Escherichia coli, Proteus sp. (indol-positivo e indol-negativo), Providencia sp., Klebsiella-Enterobacter- Serratia sp., Acinetobacter sp. (anteriormente Mima-Herellea) e Citrobacter freundii. Muitas cepas destas bactérias resistentes a outros aminoglicosídeos, incluindo gentamicina, tobramicina e canamicina, são sensíveis à Amicacina in vitro. Estudos in vitro demonstraram que sulfato de Amicacina, associado a um antibiótico betalactâmico, age sinergicamente contra vários organismos Gram-negativos de significado clínico. Ocorre supressão persistente do crescimento bacteriano de muitos organismos Gram-negativos após exposição in vitro ao sulfato de Amicacina (efeito pós-antibiótico). A Amicacina é resistente à degradação pela maioria das enzimas inativadoras de aminoglicosídeos que afetam a gentamicina, tobramicina e canamicina. Gram-positivos: A Amicacina é ativa in vitro contra estafilococos produtores ou não de penicilinase, inclusive cepas resistentes à meticilina. Todavia, os aminoglicosídeos de modo geral